17.7.09

As coisas que não se concretizam


Sou uma pessoa de ideias, mas também de acção. Tenho mais do primeiro atributo, mas uma boa dose do outro. Normalmente penso numa coisa antes de a colocar em prática. Mas já nem me vou queixar, já nem refiro que estou cansada, porque nem é isso que sinto. Mas a verdade é que não consigo concretizar merda nenhuma. Sim. Merda nenhuma, mesmo. Uso de um palavrão para reforçar a incapacidade adquirida para conseguir fazer com sucesso algo tão simpels como pôr um quadro na parede, que não caia passada meia-hora. Algo tão simples como conseguir ter um fim-de-semana que corre como o planeado, uma reunião, até uma simples massagem. Tudo à minha volta se está a evadir. Foge-me a capacidade de controlar. São nãos, atrás de nãos. A viagem que não tinha pessoas suficientes para se poder realizar e que não fiz, o emprego que esteve para ser meu duas vezes e acabou por nunca o ser, o concerto que era para ter sido durante meses e na última não foi, os amigos que iam e não vieram, a equipa que ansiosamente esperava e que não aconteceu, a relação que não vai para lado nenhum a não ser transportar-se.
E eu estou numa paragem, parada, a olhar para a tabela das partidas, pronta a apanhar o primeiro comboio parab ir, mas nenhum pára.

5 comentários:

Poetic GIRL - BELA disse...

Ultimamente também tenho tido essa sensação. Que tudo me passa ao lado, e vez de vir ter comigo ou vice versa... estou estagnada. Precisava de virar tudo de pernas para o ar... beijocas

Denise disse...

Eu acabo o curso e vamos as duas embora. Para fora deste país? Nice? =D

"São nãos, atrás de nãos. "

Pois são. Pois são...
:(

Zofia disse...

Querida, faz como eu. Faz o vento, a chuva e o sol tu sozinha. Tudo o resto é bem vindo. E viajares, porque nao sozinha? Porque nao até aqui, enquanto por cá estou? Beijinho! :)

Blue C disse...

Penso que isto acontece quando precisamos de reavaliar.Todos temos essa sensação de vez em quando. Eu estava assim até há 1 semana. Apanhei um táxi e cá vou eu rumo ao meu destino.

Rita disse...

Gosto de pensar que estamos numa encruzilhada, mas que não vimos o caminho, e q temos medo de fazer escolhas, tudo nos parece escuro e sem razão, mas mais tarde ou mais cedo um letreiro há-de se acender...digo eu.