16.6.10

Da perda


Não me prendo a nada para não ter que sentir a sua perda. Esta poderia bem ser a frase que define os solitários. Esta poderia bem ser a minha frase. Mas da perda e da solidão não sei o suficiente para poder dizer com propriedade que sei do que falo. Tenho uma ideia aproximada. Da perda fica a solidão. E na solidão está a perda.

3 comentários:

Oxente Lusitano disse...

Oh vidinha essa não? As vezes estamos tão numa boa, e as vezes cai tudo aos pés. Pois é! Somo humanos e dos mais normais que existem. Também andava com a baixo estima nos subterânios a procura de ouro! Pois bem! Ainda não achei ouro mas já ando um pouco ao sol e te convido a pegar um solindo a cara pois sempre nos fica bem na foto. Te cuida, vou estar de olho em ti! bjokas!

Anónimo disse...

Olá!

Transparece nas tuas palavras uma tristeza sem fim, uma solidão sem fundo, um medo de perder, por (talvez) já teres perdido demasiado...
Estas palavras poderiam ter sido escritas por mim, bastava conseguir expressar por palavras tudo o que me vai cá dentro.

Um beijinho de força!

T disse...

Obrigada. Nunca tinha sentido solidão. Nunca em toda a vida. Só soube o que isso era há muito pouco tempo.