14.5.08

20 anos a ligar destinos

Quando há linhas que nos ligam, o país é só um. As linhas que percorrem a terra são as linhas dos nossos destinos, que nos ligam sem sabermos. Porque ontem nasci no Porto e hoje estudo na Covilhã, não sei se amanhã trabalho em Lisboa ou em Beja, mas as linhas estão lá sempre comigo. A levar-me e a trazer-me. De história em história, sigo o meu destino sem limites, porque basta-me um comboio para ir e voltar ou se quiser, para ficar. Talvez sem data de regresso, porque o fim da minha linha é ali.

Nota: Texto de trabalho

2 comentários:

Zofia disse...

Adorei!!! Lindo, miga! Mas ouve, nao devia ser o principio da tua linha? Acho mais positivo dizer que ha muitos principios de linha do que fins, mas isto sou eu que ando nostalgica...
nao publiques o comentario, foi só uma sugestao, beijo grande!!!

Tania disse...

O fim da lina, no senttido que chegaste onde querias e queres assentar. Ficar ali, naquele destino.