27.5.09

Há pessoas que nos invejam as coisas boas

Por muito pouco que sejam, ou por muito poucas que sejam. Mas essas pessoas que invejam as nossas coisas boas, muitas vezes não sabem do outro prato que nos pesa da balança. E provavelmente também não sabem que dariamos tudo e todas essas coisas que tanto desejam , para ter uma das coisas más resolvida. O que essas pessoas que invejam não sabem, é que o sentimento negativo que emitem é uma energia, que acaba por influenciar negativamente o alvo da sua inveja. E como já tinha dito aqui em tempos, é uma coisa que não percebo. Não sou desprovida desse sentimento, obviamente que não, mas faço os possíveis e impossíveis para o evitar. De mim como destinatária, e como receptora. Porque a minha história de vida tem histórias que não lembram ao diabo, em que a inveja foi o motor de desgraça. E porque a minha vida está ligada a outras vidas que faço por proteger, tento manter essa inveja longe do meu peito, longe de de mim, longe da minha vida, e por consequência longe dos que me estão próximos.

7 comentários:

Feiticeira disse...

Eu odeio a inveja. A maior parte das vezes não entendo o porquê de atitudes de alguma pessoa comigo e alguém me diz que é inveja. Inveja de quê??? Fico fula! E dizem as coisas de sempre: ah e tal és gira, és magra, és independente, tens uma carreira. E o outro lado? ninguém ve que isso. Aliás, exigem que não tenhas outro lado para te poderem invejar. acham que não podemos sofrer, ter um mau dia, ter stresses e inseguranças porque temos algo que essa pessoa gostava de ter.

Mas tb há boa inveja... E eu hj invejo o cabelo da kitty fane. Não lhe quero mal, não quero que ela fique careca e eu fique com aquela juba fantástica. Só queria saber como ela faz. Porque aposto que o outro lado da balança tem tempo de cabeleireiro e dinheiro gasto em bons produtos... estou num dia de "mau cabelo". :)

T disse...

Eu obviamente, como ser huamno que sou, também já senti inveja por coisas (até hoje nenhuma palpável) de amigas minhas: o talento para cantar, ou a doçura, ou a quantidade de amigos...
e também já quis para mim coisas que vi nos outros: a casa do X e da Y é espectacular, o F e a G viajam imenso, também gostava... e afins.

Mas... também sei das dificuldades ou do lado mais negro que essas pessoas viveram, e por isso, quando as vejo feliz e concretizadas, só posso ficar feliz por elas, e por achar que a dita balança acaba por, mais cedo ou mais tarde se equilibrar.

O que me tira do sério é a inveja maldosa, pura, sem fazer caso do que o terceiro passou (ou ainda passa) para ter aquela parcela de "felicidade".
Enfim... há muita gente que só olha para o visível e como tal só deseja o fútil.

Blue C disse...

Um dia ouvi algures que sentir raiva é como beber um copo de veneno e esperar que o outro morra. Penso que isso acontece com todos os sentimentos q classificamos como negativos. Não faz mal só ao outro, mas tbm a quem o sente.
Por outro lado, tbm acho q muitas pessoas se escudam na inveja para justificar o q corre mal nas suas vidas... é que se torna mais fácil do que olhar para o que é preciso mudar.
De qualque modo, tbm penso que as coisas e as pessoas só têm a importância que lhes damos. E quanto mais energia colocamos na rejeição de quem nos inveja, mais força ganham.

T disse...

Blue C,

Boa reflexão e conselho final.

Eu não costumo dar importância a quem me inveja, até poruqe muitas vezes nem sei, nem sei quem é... mas é uma coisa que mais cedo ou mais tarde se sente, principalmente e ainda pior quando é dentro da própria família.
Claro que não justifico os meus azares na vida com a inveja dos outros, mas há coisas que parecem obra de alguém...

Blue C disse...

Olá, T. Não escrevi o comentário a dirigir para ti... foi só uma reflexão mesmo. Pegando no que dizes, mesmo não sabendo quem nos inveja, pensarmos/suspeitarmos que nos invejam é suficiente. Costumo dizer que a inveja e pensarmos que nos invejam são "possessões" com igual força.
Mas de todo não estou a dizer que é o teu caso, até porque não te conheço para dizer tal coisa. Beijinhos

T disse...

Blue C,

Continuo a dizer que acho os conselhos, bons conselhos, mesmo. Mas eu agora tou virada para este lado, tou chateada com a vida e foi isto que saiu. ;)

P.S. convenhamos que no espaço de 10 dias, ia partindo o nariz na porta do carro (fiquei SÓ com um inchaço gigante e o nariz rasgado) e na semana seguinte tenho um acidente estúpido... tudo isto com um carro que tem 1 ano, mas que nas minhas mãos é novo... @@@@@
enfim...

Blue C disse...

T., espero que a maré de azar tenha passado.Houve uma altura em que eu também andava assim e de repente percebi que andava com a cabeça na lua... é que me sentia mesmo desenraizada. E isso fazia com q os acidentes me acontecessem.
Resolvi isso de forma fácil. Comecei todas as manhãs a imaginar-me com raízes a sairem dos meus pés e a ligarem-me à Mãe Terra. Beijinho