6.1.09

Carta ao Senhor Primeiro


É coisa rara eu escrever sobre política e esporadicamente emito opinião política. Não por apatia, mas por melindre e pela educação que me deram. Mas hoje não consigo ficar calada, mesmo correndo o risco de dizer disparates, ou de alguém importante ler isto e me ameaçar de prisão.
Apesar de ontem não ter assistido à entrevista ao nosso Primeiro no telejornal da Sic, li hoje um apanhado da mesma no jornal Público e há coisas que me revolvem no estômago. No tempo em que este mau homônimo de filósofo, ainda só era Ministro do Ambiente (de 1999 a 2002), já eu achava que ele tinha um discurso descabido e pensamentos megalómanos, embora vanguardista para a altura (é verdade), mas que pecavam por falta de realismo também. Hoje, passados quase dez anos, reitero a minha opinião e sugiro o mesmo que pensei na altura: exportem-no para os EUA. Já que é preciso aumentar as exportações e reduzir a dívida externa, pode ser que nos paguem alguma coisa de valor por ele (ou não, mas podemos tentar) e assim só se estragava um país. Que tal esta solução Senhor Primeiro?

4 comentários:

Bruno Fehr disse...

Nem os EUA o querem!

T disse...

Podemos sempre tentar o Oceano Pacífico!

Princesa Tagarela disse...

Oh!! T ...

Para afogarmos o homem...ai desculpem...

Para afogarmos o SrºEngenheirooo não precisamos do Oceano Pacifico!!

:P

T disse...

Era para não ser muito óbvio. Íamos até alto mar e largavamos o senhor a ver se o oceano o queria... ou os peixes... ou os tubarões (se houverem), senão podemos sempre procurar um outro sítio que os tenha.


;)