2.1.09

D. Ermelinda é uma falsa amiga


D. Ermelinda apresentou-se como uma senhora. Simpática e suave, foi fazendo a sua conversa à roda da mesa e em menos de nada já éramos amigas de longa data. Estávamos já muito íntimas, e a conversa de boca de copo soltava-se com maior facilidade. Soltavam-se também as mãos, os risos e os dispatares. D. Ermelinda datava de 2006 e acompanhou-me de 2008 para 2009, uma amiga a reconsiderar para o novo ano, pensava eu. Muito divertida esta Dona, muito espirituosa, muito cheia de piadas e trocadilhos, que ao abusar começa a revelar o seu lado mais sopeiro e desinteressante. Mas a D. Ermelinda não foi amiga. Foi uma falsa e às tantas da noite deu-lhe para se revoltar e começou a ofender o meu organismo, resultando numa acesa discussão, que terminou mal para o meu lado. Quando se dá muita confiança a desconhecidas com 13,5% de álcool, correm-se riscos e
o lado mais fraco acaba sempre por perder.
Cuidado com a D. Ermelinda. É isto que vos digo... cuidado.

5 comentários:

Smokin' Han disse...

É verdade sim senhora!!!!
Eu estava lá e vi com estes olhos que a terra há-de comer!!

Muito cuidado com essa tal de Ermelinda: não é nenhuma avozinha queriducha e rosadinha que prepare biscoitos caseiros com leite quente em serões rurais e bucólicos.

T disse...

Infelizmente houve mais quem visse :(

E infelizmente essa Senhora Dona estragou um resto de noite de fim-de-ano que podia ter sido bem diferente! ;)

Marla disse...

Ehehehe... Pois, também ja tive algumas conversas dessas! ;)

Rita disse...

pois é...houve quem se tivesse enrolado com o Sr. Eristoff black...

T disse...

Xiiiii... e esse deixa provas! Língua preta por umas boas horas. AHAHAHA!

Been there. Done that.
Once.
Never again!!!!!!