30.1.09

O cigarro da tristeza


Há 10 minutos atrás apaguei o cigarro da tristeza. Fumei-o compenetradamente, pausadamente e com pesar. Hoje acho que perdi uma amiga. Ainda não decidi. Porque as amizades, tal como o amor, podem chegar ao momento em que já não crescem connosco. Hoje fumei um cigarro tão profundamente desiludido que dói a decisão do que fica para trás, do ganhar ou do perder. Conta que não devia existir, não devia sequer ser questionada, porque devia dar sempre resultado.
Por isso, hoje, acho que vou perder uma amiga de longa data, talvez uma das amizades mais antigas que mantenho. As desilusões acumulam-se, uma atrás da outra, ganham tamanho e ganham peso cá dentro e magoam e decepcionam.
Ao deixar ir uma amiga, estou a deixar ir muito de mim também, mas esta indiferença, este sentimento de ser ignorada e preterida já não dá para aguentar, nem para justificar, nem para desculpar. E estou sentada a escrever isto e a ver uma fotografia nossa de um fim-de-ano, dos muitos que passámos juntas (aquele em que fiquei a dormir em tua casa). Mas às vezes as coisas têm de acabar, para podermos dar espaço a outras pessoas para entrar.
Não foi por falta de aviso, mas tal como no amor, não se força, tem-se.
E hoje apaguei o cigarro da tristeza desta amizade dentro de mim.
Nem chorei, mas a minha alma soluça.


14 comentários:

An7ónio disse...

:(

Ivan Mota disse...

É triste. Faz o teu luto em paz. ***

Sanxeri disse...

Tocante.

inv3rs0 disse...

ainda te referes a ela como "amiga"

T disse...

Inv3rs0, confesso que me deste que pensar...

pu pu pi tu disse...

pensa bem...
a amizade ainda é daquelas coisas que eu acho que merece ser preservada. para que isso aconteça tem que ser tratada e regada... por todos. acontece muitas vezes a amizade ser alimentada por uma pessoa só, por falta de tempo, por falta disto e daquilo e acontece muitas vezes os amigos trocarem-nos por outros amigos, por novos amigos, pelos amores. se concordo? não. se já sofri por isso? sim. mas sabes, não assassino essas amizades... as amizades que não são verdadeiras acabam por morrer naturalmente.

T disse...

Pu pu pi tu... talvez muito do que aqui está escrito tenha sido fruto do momento. Do sentimento que tinha na altura. Também sei que sou melodramática e que tenho de me dar um desconto (um grande desconto), mas a verdade é que este regador, por agora, secou.

Denise disse...

A amizade tal como o amor não dura para sempre. Vá, eu pelo menos não acredito nisso. Tento manter as minhas amizades até ao máximo que puder. sejam eles 2 anos ou 12 anos.
Vá, mas isto sou eu que sou uma jovem que não sabe o que é a vida e ainda tem muito para viver.

Tu saberás o que fazer .

;)

as velas ardem ate ao fim disse...

Precisas de fazer luto.Fumar mais um cigarro até ao fm.

um bjo

C disse...

Por mais que seja triste ler isto e imaginar o que sentes (o que não é difícil porque, infelizmente, já passei pelo mesmo), a única coisa que dá alento num momento destes é pensar que, às tantas, já se pereu tudo há muito tempo. Resta apenas formalizar o acto. E, acredita: hás-de sentir-te muito melhor depois!

Carlos Rangel disse...

Já passei por isso e acho que faz parte da vida. Por vezes os caminhos afastam-se irremediávelmente... Não lamentes, pois se já não há amizade é mesmo o melhor que tens a fazer...

Obrigado pela passagem no meu blog ;) Realmente aquilo das vacas também me fez muita impressão! Devia ter sido proibido. Mas infelizmente na sociedade onde vivemos...

Uma grande beijoca,

Carlos Rangel

bruno cunha disse...

há 13 anos que acabei com a tristeza e olha que não lhe tenho sentido a falta

;)

T disse...

Obrigada pelos vosso apoio, simpáticos!!

desculpasemculpa disse...

Dói muito...uma dor que não conseguimos bem identificar onde carrega...se no coração, se na cabeça ou se na alma