16.12.08

Hoje chorei


Chorei de cada vez que li este texto.
E foram muitas.
Com o meu maior respeito e admiração.
Retirado de http://paracucaginguba.blogspot.com/


"Não sei fazer isto melhor...

Farias hoje 65 anos mas paraste de os fazer antes dos 45. Há que convir que vinte anos é muito tempo sem os fazer e provavelmente já nem sabes com é. O último que comemoramos foi a 15 de Dezembro de 1987, se calhar já não te lembras, mas nesse dia não me deixaste comer o bolo de chantilly com ananás. Perguntaste-me se não me importava que o partilhasses com os teus colegas. Eu importei-me pai, porque percebi finalmente que ias morrer. Os teus colegas eram os doentes daquela enfermaria onde todos os dias aparecia o senhor “fim de viagem” Eu só tinha onze anos pai e, pior, tu só tinhas 44. Gostava que soubesses que me lembro de ti todos os dias, que herdei o teu feitio de merda (a mãe não diz asneiras mas tu eras mestre), também te herdei o sentido de humor, a simpatia, a sociabilidade, a inquietação e outras coisas boas e más (herdei a beleza da mãe, descansa). Gostava de te ter visto roxo de orgulho quando me fiz médica no dia do juramento hipocrático, gostava que me tivesses ensinado a conduzir, gostava de ter visto a tua cara no dia em que o teu neto Francisco nasceu, gostava que tivesses tido um PC e uma máquina fotográfica digital ias gostar tanto, gostava que soubesses que a mãe nunca tirou a aliança e que continua a pensar em ti sempre (és um chato mesmo depois de teres ido), gostava muitas, mas mesmo muitas vezes que estivesses ao pé de mim. Tenho pena de não entrar de braço dado contigo no meu casamento, que não vás ensinar aos teus netos que por dentro das pedras castanhas há estrelas, que não conheças o meu Francisco, tenho uma pena imensa que não estejas aqui."
, em 15 de Dezembro de 2008.

4 comentários:

Rita disse...

ya confirma-se e nós a perdermos tempo a chatear-nos com merdas qd nos foi concedido o dom da vida e do tempo...

T disse...

Se este texto dói só de ler, nem imagino o que seja tê-lo vivido e escrito...

Muxy-Muxy disse...

queria que soubessem que me deixa vaidosa o vosso carinho!
Gostava de deixar claro que o Miguel, meu pai, era um ser notável.
Um grande beijinho e obrigado

Tania Rodrigues disse...

E falo a verdade quando digo que choro cada ve que leio este texto. De cada vez. Por isso, vou ter de o deixar de ler durante uns tempos.